segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Sentimentos


Falei tanto de palavras que em alguns momentos acabei esquecendo de deixá-las falarem por mim.
Eu não sou mais quem era ontem e amanhã não serei quem estou sendo agora. Exclusivamente nesse instante parei de pensar e deixo as palavras fluirem para todo lugar.

E elas são divinas. Divinamente cruéis. Ou cruelmente divinas. As duas definições se encaixam. Por elas sinto amor, apego. E asco.
Aprendi a entendê-las. Não posso confiar, mas posso depositar esperanças. E que estas morram junto com as palavras se não forem verdadeiras e perderem o sentido algum dia.

Já não tomo mais cuidado com os meus desejos. Eu desejei estar em Neverland e não me arrependo. Quem foi que disse que crescer é fácil? Acho que tudo seria mais fácil se não crescessemos.
E eu cresci... talvez até mais do que deveria.

Entendi também o silêncio. Que não é ruim e não é bom.
Gosto de tudo, inclusive do espaço entre o silêncio e o barulho. Aquele que fica bem no fundo do olhar escondendo segredos...

As palavras me trouxeram até aqui como se fosse um sonho, como se tudo tivesse passado em um segundo. Eu voei. E quando estava no alto, pude ver as estrelas com mais clareza.
Chorei ao ter que deixá-las e se pudesse, estaria alí até hoje. E ficaria para sempre.

Ao menos tenho a honra de ter visto o mundo do alto. O mundo exatamente como ele é. Cheio de palavras e de silêncio. Do espaço entre eles.





Eu.











E pra fechar o ano, Vertical Horizon - Everything you want.

que já faz parte da trilha sonora da minha vida...









There's no point in running, unless you run with me.





baci per sempre.



PS¹:. Me disseram que esse é um texto de alguém que vê tudo com o coração. Engraçado como todo mundo me diz que eu sou assim...

PS²:. E eu que pensei que esse post de hoje seria totalmente diferente. Pensei que estaria agradecendo por outras coisas, e acabou que estou agradecendo especialmente à quem me largou no Natal por saber que de algum jeito, eu sentiria saudade. ;)
Mas também agradeço à todos que lembraram. Pelos presentes, pelas mensagens e pelas ligações. Pelos abraços, pelas visitas. Pelo riso fácil e pelo choro mais fácil ainda. Pelas duas coisas juntas, que cairam como um piano bem em cima da minha cabeça.
Pelo mundo real ser MESMO real. E principalmente por eu não fazer parte dele.





Não vou desejar Feliz Ano Novo antes de ser ano novo. Mas não vou mesmo.
Então por enquanto, deixo um abraço de fechar os olhos à todos.





' E daí? Eu ADORO voar '
Clarice (L)ispector.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009


Que há quem ama, HÁ.
HAUHAUHAUHAUHUAHUAHUAH
NÃO resisto em fazer piadas sem graça e a Mary que o diga, né pre?


Natal como sempre, foi lindo. E sempre será.
Tenho CERTEZA de que terei alguma surpresa algum dia desses, porque estão me escondendo algo. HAUHAUHAUHUAHAHA




Anyway, sleep time.




Feliz Natal de novo, pela última vez nesse ano. Ainda que não seja mais Natal...




um beijinho.

Então é Nata(L)


É. Chegou.
*-*



Não tenho muito a dizer. Tudo o que tinha, já disse ontem.


Depois eu posto direito.



Beijo e Feliz Natal ♥








...e seja feliz quem souber o que é o bem. ♫-♥

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Christmas Eve!


Os horários do blogspot que me perdoem. São quase 3 da manhã e não me importa se o blog disser que hoje é dia 23. A verdade é que é dia 24 e é VÉSPERA DE NATAL!
*-*
E eu, claro, já estou escutando Então é Natal com a Simone. Um dia, em algum Natal, vou cantar essa música no palco. Ou pelo menos tentar, já que choro feito boba quando escuto.

Eu gosto tanto das luzes, do movimento nas ruas a noite, das festas, dos sorrisos... mesmo que digam que é tudo falso. Em alguns casos não é. Não pode ser.
Se eu fosse de ferro, juro que ficaria acordada até a meia noite de amanhã, quando o Natal acabar. Não sinto sono no Natal. O ÚNICO dia do ano que eu não sinto sono, pra falar a verdade. HAUHAUHAUHAUHA
Só tô postando agora porque não sei se vou ter tempo de postar depois. Mas acho que consigo dar um jeito. Se não conseguir, digo o tudo o que tenho a dizer no dia 26.


O beijo mais especial de hoje vai pro meu eterno Papai Noel. Meu anjo da guarda. Uma das pessoas culpadas pelo meu amor incontestável pela música.
Ouvi um sino tocando hoje na rua e te ví ali por alguns segundos. Era um cara vestido de papai noel jogando bala pras crianças. Eu sorri e ele jogou pra mim. Mas, é claro, ele não tinha nos olhos a paixão que você tinha quando fazia isso junto comigo, com a minha mãe e com a Bedé. E de alguma forma, eu sei que você estava alí. Eu te ouvi...e não ouvi ninguém mais. Tanto que todos nós falamos de você na hora.
De qualquer forma...todo mundo vai me dizer que Papai Noel não existe. Pra mim existe. Pra sempre. Eu te amo demais demais demais, vô Lelo.
O segundo beijo especial vai pro vô Neu, que me deu o meu primeiro violão. Se não fosse ele, não tocaria nada hoje. Eu te amo muito.
Os outros beijos, tão especiais quanto, vão pra minha mamãe Liliane e pro papai Rogério, pra Bedé, pra vó Elisa, pra vó Sila e pra Bia. Todos os meus eternos.



Harehama, Há quem ama. -♫



Há?
Bom, tem que haver. Certo?
CERTO?????????????????
Eu acredito e não sei se sou idiota por isso mas, se for, acho que ser idiota é uma das minhas maiores qualidades.




Família, champagne, amigos. Luzes, a tradição do visco. A magia.

Dizem que a magia é aquilo que você não pode ver, mas sabe que está ali.



Ah, o Natal..



quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Retalhos e Pilhérias

Retalhos e pilhérias. Pilhérias dos retalhos. Pois não é cruel? É como vejo.
Testa-me a resistência. Galanteios ora me derrubam, ora me tiram do sério. Tenha cuidado. Diga-me qual é a minha fraqueza. Não é óbvio? Está estampada em suas palavras, em seus floreios.
Sou seu eterno mistério a ser desvendado. Dou-lhe todas as pistas possíveis e você tira uma conclusão. Seja como for. Você pode até escolher caçar seu próprio tesouro. Um maior e mais brilhante. O que mais te enriqueça. E no final, assinar seu atestado de felicidade ao colocar no dedo um anel de diamante.
Não sou todo mundo. Francamente, nem devo fazer parte do mundo. Eis a minha fraqueza. Os retalhos da minha existência...
Sei bem o destino dos meus versos, só não sei exatamente pra quem foram feitos. Ao menos sei pra quem não foram.
Ao descobrir minha fraqueza, tem nas mãos uma adaga afiada. Crave-a em mim com destreza. Nunca por trás. Que seja diante dos meus olhos. O resto, com sorte, o vento me traz.
Sou fraca até demais. Tenho minhas essências e um nome a zelar. Não sou quem você pensa, não serei quem você quer que eu seja só pra te agradar. Nem sei quem sou. Simplesmente sou.
Sou a carta escondida, o truque do mágico inteligente. Sou invisível, porém gente. A mesma mão que afaga, também fere. Sou escrava do que me difere.
E tudo o que sou é seu. Então cuidado com o que diz, pois não sou imortal. Tenho um coração frágil, de cristal. Sou fraca. Muito fraca. E redundante. Sou começo, sou final. Inclusive o último golpe fatal.




***
Na foto: casamento do meu padrinho lindo, Ronei!
tem foto dele no fotolog :)
Nas mão direita uma taça de champagne e na esquerda, uma de vinho, que por sinal, estavam deliciosos. Ainda mais pra quem passou mal de tanta dor a tarde inteira e não comeu quase nada. Me senti tipo, nas nuvens. Mas só por 5 minutos, porque depois me enchi de comida.
E no final do casamento, teve presentinho. Uma rolha (?) com um coração na ponta.
Um coração. UM CORAÇÃO.
Sem contar que os enfeites do casamento eram nada menos do que rosas amarelas.
Bom, só podia ser mesmo padrinho meu.

***
Queria gravar um vídeo hoje. E gravei. Uma música que eu tava tentando tocar há muito³ tempo. Aliás, me irritou até (pra variar). Complicadíssimo o ritmo dessa música, mas eu simplesmente tinha que gravar. A letra é perfeita demais.
Mas é. Depois de umas duas ou três semanas ou quase um mês, aí está.
Relicário!

Porque está amanhecendo se não vou beijar seus lábios quando você se for?





O mundo está ao contrário e ninguém reparou.
O mundo está AO CONTRÁRIO e ninguém reparou.
O mundo está ao contrário e NINGUÉM reparou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

















Um relicário imenso...
44 dias.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Quem está ao contrário afinal?


Escrevo como quem fere o que já foi ferido. Insisto no erro. Ou persisto no acerto. Escrevo porque tenho uma alma e esta é feita de sentimentos e palavras. Sentimentos em palavras.

Tanta gente nesse mundo. Alguns artistas, outros, apenas personagens coadjuvantes de sua própria vida e, mesmo assim, cada um tem sobre si um papel de extrema importância. Os médicos cuidam da saúde, os advogados defendem o lado certo – ou não – da lei, os políticos roub... fazem as leis. Particularmente, eu sou fã dos artistas. Aqueles que tem um trabalho e mesmo assim, conhecem a poesia, a música, as palavras e os sentimentos como um todo. O ator pode ser qualquer pessoa, pode interpretar quem quiser. O músico traduz o intraduzível. O pintor dá cor à vida. O escritor cria o personagem, a letra da música e as características do desenho. E no fim, nenhum vive sem o outro.

Ainda que o mundo esteja virado de ponta cabeça, como está agora, estamos juntos de alguma forma. E por falar nisso, quando foi que tudo mudou? Onde eu estava? Provavelmente no meio de uma rua qualquer, roubando flores das árvores e observando os carros passarem velozes por mim, como se não me notassem.

Difícil não é viver. Difícil é ver o que está acontecendo e não poder fazer nada. Os valores já não existem. A não ser os materiais, é claro. Ter é muito mais importante do que ser. E, me diga, quem é você? Quem sou eu?

Quem são essas pessoas e porque elas estão apontando pra mim? Elas estão rindo?

Diferença. Eis minha sina.

Por isso às vezes me pergunto quem é que está ao contrario. Seria o mundo ou apenas eu?










Vertical Horizon - Forever.
Forever que apropósito é, e sempre foi minha palavra preferida em inglês (mesmo antes de eu saber o significado dela, juro) e em português também...e em todas as outras línguas...





Heartache to heartache, we stand....
49 dias.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Cranberries ♥ - It's not my imagination.


PISTA PREMIUM.
HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!
Melhor presente que eu ganhei da Bedé e da Bia \o/
Amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei, amei.....................AMEI!
Vocês são demais! *-*
E o ingresso é tãããããããooooooooooooooooo lindo! Acho que, com sorte, vou pedir o autógrafo da Dolores nele.
Ou talvez, no meu braço. Aí eu nunca mais tomo banho na vida.
HAUAHUHAUHAUHAUHAUHAUHUAHA


É isso. Era isso que eu tinha a dizer.
Quarto lugar na UNIMEP e já vou parar de falar isso, senão logo logo eu levo um tapa e também os Cranberries. Que esse show, com certeza vai ser uma história que eu vou contar pros meus netos!
Afinal, meu sonho era ver um show internacional. Melhor ainda quando essa banda internacional é minha segunda banda preferida no mundo todo, não?


Fig, somo nozes! _|..|


Bedé e Figurona, mto obrigada pelo presente. Amei de verdade. Mas amo mais vocês. Tipo...MUITO.

Tá certo que Linger é minha música da sorte e uma das músicas da minha vida. Mas hoje, vou colocar uma outra música da sorte e que o clip é exatamente IGUALZINHO a mim...andando na rua com o iPod no ouvido. HAHA!



It's not my imagination... (8)

Beijo beijo, que eu vou dormir agora.


54 dias.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009


Eu sei que já passou da meia noite e tal, mas só tive tempo de sentar no pc e ficar algum tempo, agora...
O dia foi cheio. Acendendo sorrisos e apagando também (e isso só a Natália vai entender, HAUHAUHA).
Tô morrendo de sono, de verdade..porque minha mãe me acordou 9 e meia da manhã. Ou melhor, me sacudiu. Gritando que eu tinha passado em quarto lugar na UNIMEP.
É. Eu levei algum tempo pra processar a informação, porque eu sinceramente não esperava. E depois de muuuuuuuuuuuito tempo, tipo um século... a primeira coisa que eu tomei hoje foi coca-cola! E lembrei do QUANTO eu gosto de tomar coca-cola de manhã (e pra acompanhar, comi torta trufada de café da manhã). Mas de qualquer forma, foi só hoje.
Eu gosto da sensação, apesar de ser estranha. A de ter entrado na faculdade...
Sempre pensei que eu diria isso com naturalidade, mas eu estava errada. É tão bom dizer. E eu já disse pra cidade toda. HAUAHUAHUAHA
Afinal, não é todo dia que a gente entra em quarto lugar em uma faculdade...


E quanto à outra foto, minha querida irmã Mari.
Se não fosse ela 3 anos atrás, talvez eu nem soubesse que esse curso existia. Valeu sis!
Love you very much and I miss you! :)

Obrigada especialmente pra Bedé e pra Bia (como sempre).
Obrigada pro Nonom, pra Bumbá, pra Fê, pra Belz, pro Alby, pra Vick, pro Guto, pro Claudinho, pro Antonio, pra Kristen, pra Ju, pras pessoas que eu não conheço e me deram parabéns mesmo assim, pro Marcelo que provavelmente nunca vai ler isso aqui, pro Rick, pro pessoal do twitter, pra quem acreditou em mim...enfim, pra todas as pessoas que me deram parabéns hoje.
Beijos pra todos vocês.




E parabéns pra prima Natália também, que entrou em ADM na unimep também!
("rs..." *é, pri...eu sei que você riu dessa! =D)
E parabéns pra mim também. (Porque não?)
;)









Waking up from a nightmare.
55 dias.





amanhã eu posto de novo.
tenho mais a dizer....

sábado, 28 de novembro de 2009

Locked


É isso. Seguir em frente. É o jeito. Não é? Foi o que disseram por aí...

Se todo mundo vai pra frente, porque estou parada? Não faz sentido. Faz?

Não que eu tenha algum motivo, a não ser o fato de que o mundo não para e que os ponteiros continuam rindo de mim em um ritmo irritantemente compassado.

E rolam os dados, os jogos continuam. Ninguém é invencível. Eu muito menos e isso está longe de significar que eu seja medrosa. Ou vulnerável.

Jogar faz parte, assim como perder. E ganhar, é claro. O problema é quando quebram as regras.

Estive apostando meu coração... e perdi. Mas ganhei também: aprendi que não devemos apostar tão alto. Ainda que seu desafiante tenha sobre si um disfarce perfeito.

E aqui estou. Seguindo em frente sem a minha parte mais importante. A não ser que eu dê sorte em alguma parte do jogo e eu siga algum caminho onde tudo sopre ao meu favor.

Por enquanto, se eu soubesse o caminho para encontrar meu coração, com toda certeza encontraria, mas prefiro simplesmente não procurar. Sei com qual aparência estará. Sem contar um pedaço de madeira enfiado bem no meio, sustentando uma placa onde se diz, em negrito: FECHADO.












Não que a foto tenha algo a ver com o texto, but anyway, eu adoro essa foto.





Post ao som de Laura Pausini - Due
Io che ti telefono,
tu che non si in casa: ‘lasciate un messaggio’
Ma è molto più veloce il nastro di me, che non so mai che dire
E allora proverò ad uscire,
stasera io ti trovo, lo so!!!






Só preciso de sorte. Não vou dar mais detalhes por enquanto, senão nada dá certo.
Mas vocês vão ver o que eu vou fazer... se der!



um beijo.
especialmente pra bedé e pra figurona que me deram o melhor presente de todos...que ainda não vou dizer o que é.




Mas...logo....

Um trecho da série O diário da princesa.

É, então, a coisa não deu muito certo.

E piorou mais ainda quando eu estava me despedindo do Michael – depois de tentar, sem conseguir, arrancar o iPhone da mão dele para poder deletar a cópia do meu livro que eu cometi a idiotice de mandar para ele – e nós nos levantamos para ir embora, e eu estendi a mão para dar tchau, e ele olhou e disse: “Acho que a gente pode fazer algo melhor do que isto, não é mesmo?”

E ele abriu os braços para me dar um abraço – um abraço de amigo, obviamente, quer dizer, não era nada mais do que isso.

E eu respondi: “Claro que sim.”

E eu retribuí o abraço.

E sem querer senti o cheiro dele.

E tudo voltou como uma onda. Como eu sempre me sentia segura e quente nos braços dele, e como toda vez que ele me abraçava desse jeito eu nunca mais queria largar. Eu não queria que ele me largasse ali, bem no meio do Caffe Dante, onde eu só estava fazendo uma entrevista com ele para o Átomo, não estava em um encontro ou qualquer coisa assim. Foi tão idiota. Foi tão horrível. Quer dizer, eu praticamente tive que me forçar a largar, a parar de respirar o cheiro de Michael dele, que eu não sentia há tanto tempo.

Qual é o meu problema?





(Meg Cabot - Princesa para sempre)















Conheço alguém assim. Igualzinha.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Looking for something


Sua visão permanecia confusa, como se estivesse vendo através de lentes quebradas e andando no meio da multidão. Dava encontrões de propósito naqueles que não lhe pediam licença.
Tinha que estar alí em algum lugar. Impossível que não estivesse. Não havia outro motivo para que suas mãos tremessem daquele jeito. Sabia que não estava enganada.
Olhou por cima do ombro, por todos os lados. Apurou os ouvidos. Talvez pudesse escutar se aquela voz, por um acaso, dissesse seu nome.
Onde poderia estar?
Olhava atentamente nos olhos de cada um. Alguns tinham olhos azuis, outros castanhos. Alguns maldosos, outros meigos. Ah, como era complicado encontrar.
Apertou o passo de forma que não conseguia mais sentir as pernas. Ia desabar.
Consultou o relógio. Não havia muito tempo - tinha que estar em casa antes da meia noite, antes que dessem conta do seu sumiço.
Continuou procurando.
Tudo acontecia muito rápido. Vozes altas, risadas, brincadeiras. Sem falar na música de fundo. Não poderia esperar outra coisa, sendo que estava no meio de uma pista de dança.
Empacara-lhe um grito na garganta. Se ao menos soubesse onde estava...
Mas apenas sabia que estava.
E todos continuavam a dançar como se nada estivesse acontecendo. Tudo acontecia normalmente.
A calma começava a morrer. Não conseguia sequer entender o motivo de estar procurando.
E foi quando havia encostado na parede sem esperanças, que ela viu. Alí estava. Não o que ela queria mas sim, quem ela queria.
Seus olhos se encontraram por alguns segundos e quando andaram na mesma direção, percebeu que estava sorrindo. E sem dizer uma palavra, segurou-lhe as mãos. Seu coração disparou.




















Sandy & Júnior - Love never fails.



















63 dias.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Então vá!


A porta está aberta. Você tem cinco minutos pra me dizer o que quer. Não posso mais esperar por coisas que vem e vão, por promessas que serão feitas e jamais se cumprirão.
Se achar que não vale a pena continuar aqui, vá. Você já fez questão de destruir tudo então quando sair, ao menos apague a luz. Se quiser mesmo ir, vá de uma vez sem olhar pra trás, antes que eu feche a porta e você fique pra sempre.




Nem tudo o que parece é. Nem tudo que é amor é ilusão. Nem toda música é feita sempre da mesma inspiração...







Então vá!
Minha música nova...
E antes que me perguntem...não, não estou mandando ninguém embora. Sabe aquela famosa frase do John Lennon...
" Amo a liberdade, por isso deixo as coisas que amo livres. Se elas voltarem é porque as conquistei. Se não voltarem é porque nunca as possuí. "
Então...
Estou apenas deixando todas as pessoas livres de mim. Se ficarem, será por algum motivo...



É. É isso.
Então vá, composição minha, arranjos do Beto e Natália tocando bateria.




Um beijo grande pra todo mundo.
-

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Desencontros


Então depois de muitos desencontros, finalmente nos reencontramos. Você não mudou nada.
Eu não espero o momento certo pra falar. Não mais. Prefiro não dizer nada...
Você foi minha inspiração por mais de dois anos e estou realmente surpresa ao estar escrevendo isso agora. É que te quero ver com alguma coragem. Te quero rindo da minha cara, na minha cara.
Não conheço seus segredos. Talvez seja melhor que eu nunca saiba. Eu sei onde você se esconde, e basta.
De tantas coisas que poderia estar agradecendo agora, agradeço pela sua escolha de seguir na contramão.
Seus lugares, seus amores... não sei onde estão, nem quem são. Mas poderia ser eu...
Meu coração é inatingível pra você. Roube flores e jogue no meu quintal, diga o que quiser, mas não aperte os olhos daquele jeito. Posso colocar tudo a perder...
Desculpe, mas do mesmo jeito que minhas palavras não lhe dizem nada, talvez nem façam sentido, as suas não me atingem de forma alguma.
E então, depois de muitos desencontros, aqui estamos. Por culpa do seu acaso e do meu mero descaso...






Lifehouse - All in all








71 dias.

sábado, 14 de novembro de 2009

Coisas que ninguém precisa saber


Existem coisas que ninguém precisa saber. Tem hora que é preciso mesmo esconder. É muito mais fácil escrever quando provavelmente ninguém vá ler. E é justamente por isso que lhe escrevo.
Não importa o que eu sinto, o que eu faço. Não importa o quanto eu esteja sofrendo. Tenho que continuar vivendo. Sei que você pensa assim. Nada tira esse pensamento de mim.
No começo o tempo passou devagar. Agora, desatou a voar. Não deveria ser ao contrário?
Eu queria saber onde você está agora. Queria que me surpreendesse fora de hora. Queria ter a certeza de que tudo pode voltar, mas só estou certa de uma coisa: mesmo que mude, não vai mudar. Existem coisas que são impossíveis. Não se pode alterar um fato.
Qual é a graça de estar sozinha em meio à multidão? Eu olho pros lados, danço um pouco. Ganho sorrisos. E por um acaso tudo isso muda a solidão?
Fui obrigada a crescer. Doeu muito, mas talvez valha à pena. É difícil dizer. Tenho muitos sentimentos bons e ruins, mas existem coisas que ninguém precisa saber...











76 dias.
I just don't argue anymore... -♫

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

How far...


Até onde você iria? Seria capaz de estraçalhar quantos corações para conseguir o que quer?
Não sei se eu seria intencionalmente capaz de ferir um coração. Mas fui capaz de entregá-lo de mãos beijadas para que fosse pisado. E foi.
Meus gritos? Não...ninguém pode escutá-los. Ninguém. Talvez até consigam vê-lo através de minhas lentes, passeando vagamente. Querendo sair.
Hoje reli algumas coisas e confesso que não deveria tê-lo feito. De que servem as lembranças se você não tem a plena certeza de que são reais?
Só estou certa do que faço. Onde estou e onde estarei. E sei que se eu estiver do seu lado, você não me verá. Passarei despercebida como uma pétala de uma rosa qualquer sendo levada pelo vento.
Poderíamos estar combinando nosso primeiro encontro. Já sei a rua e o lugar certo. Sei até o dia e a hora. Não sei o que me deu. Você não virá. De qualquer forma, só eu estarei esperando mais uma vez uma surpresa incerta. Até que o momento chegue e o destino me mostre com uma pisada bem forte que sim, eu estava certa.

















" As palavras são como os patifes desde o momento em que as promessas os desonraram.
Elas tornaram-se de tal maneira impostoras que me repugna servir-me delas para provar que tenho razão. " (William Shakespeare)


É.





Meu clichê. Beijos pra Bedé e pra Bia.

Beijo do tamanho da saudade pra Bumbá.

E especialmente beijo pro R.S.A, por ter me feito gargalhar como não fazia há muito tempo. Obrigada!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Ciclos


- Me promete uma coisa?
- O que?
- Que nunca, em hipótese alguma, você irá me dizer uma mentira.
- Sim, eu prometo.

Tudo segue um caminho. Um ciclo.
As águas evaporam e as nuvens carregadas chovem. O que vai, volta.
Sempre tem alguém que ama mais e consequentemente, sofre mais. Mesmo assim, ama outra pessoa com a mesma intensidade.
Eu gosto, eu desgosto. Eu amo, eu odeio. Essa talvez seja a única regra que não tem exceção. Todo mundo é assim.
Ser humano é um ciclo. Das atitudes às palavras. Eu, pedindo sempre para não ouvir mentiras, mesmo sabendo que elas estão por toda parte. Você, que ao prometer não mentir, já não estava dizendo a verdade...

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Relicário


O que os olhos não vêem, o coração prevê. E eu vi. O que não vi, imaginei. E aconteceu. Bem na minha frente. E aqui estou eu. Descartada. Como se fosse um pedaço inútil de papel.
Não sei bem dizer o que estou sentindo. Não é bom, mas também não é ruim. Estou crescendo. Não penso mais como uma criança. Sei o que devo fazer. Só me falta aprender de que maneira.
Minha vida tem estado cheia de acordes semitonados. Cheia de ironias e pleonasmos.
Nunca fui grande fã da rotina. Pelo contrário. Por essas e outras, cada dia sou uma. E não confunda isso com dupla personalidade, porque não é disso que estou falando. Um dia estou toda romântica, no outro continuo mas finjo não estar, só pra ver se consigo alguma recíproca verdadeira, que não seja uma qualquer, portanto válida.
Tornei-me uma lembrança e meus atos e relatos traem os fatos. Estou fechada para qualquer tipo de uso. Com a mesma mão que escrevo cartas de amor seguro a espada e posso garantir que o impacto, apesar de oposto, é o mesmo.
Acontece que o que eu previa aconteceu. Minhas cartas foram todas sinceras. Restaram-me apenas alguns centavos de troco do correio. E a espada...esta cravou-se em mim. E para concluir, cheguei no fundo do poço. Mas acho que já está quase na hora de subir...










Beijo pra Bedé e pra Bia, como sempre.
Beijo pra Cris, a cantora, que voltou pro Brasil e tem sido uma grande amiga.
Beijo pro Japinha, de parabéns, que conseguiu a chance da vida dele. I always knew!
Beijo pra Bumbá, simplesmente por ela ser a Bumbá.
Enfim, beijo pra todo mundo. Beijos para sempre...





E por falar em Relicário...



O que está acontecendo? O mundo está ao contrário e ninguém reparou.
Um relicário imenso.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Tia Norma


Vamos brincar de palavras que terminam com ão? Por favor, não diz que não.
Obrigada por me mostrar quem é que as pessoas realmente são. E obrigada por ter segurado minha mão aquele dia que fiquei com medo de andar de avião.
Vou te contar um segredo: Gosto quando você me dá broncas por falar palavrão. Gosto do seu jeito de dar educação.
Nunca se torne normal, como muitos são. Ninguém que é comum chama atenção.
Eu te amo por ser a melhor tia desse mundo alimentado por traição. Eu te amo por ser o contrário de tudo que é ruim e capaz de destruição.
Nunca siga uma norma. Seja a Norma e não deixe que ninguém brinque com seu coração.
Jamais escreveram pra você, mas nesse momento eu lhe proporciono a incontestável sensação de que todo mundo gosta de ser inspiração...




quinta-feira, 29 de outubro de 2009

De amigo pra amigo.


Sorte. É o que lhe desejo. Não quero que nada de ruim lhe aconteça nunca.
Sei que pode ser pedir muito e também esse pode não ser o momento certo, mas de qualquer forma, por favor, sorria. Não apenas porque estou te pedindo, mas sim porque mesmo tudo parecendo estar errado, a vida continua sendo linda. Os pássaros cantam por todos os cantos e mesmo triste, eu enxergo seus encantos.
Lembre-se de bons momentos e de pessoas que te fazem feliz. Finja surdez quando seu coração gritar. O meu também grita, acredite...
Coisas ruins são passageiras. Coisas boas são inesquecíveis.
Não se preocupe quando ninguém te escutar. Um dia tudo fica bem, eu prometo.
E se não ficar, eu continuarei aqui. Não se esqueça disso.

sábado, 24 de outubro de 2009

Temporário

Tempestade, tempestuosamente, temporal. Tempo e horário. Temporário.
Tic, tac, tic, tac - voa a hora e ficam os sentimentos. Lentos.
E por fim aqui está a primavera. As flores e a brisa suave batendo no rosto dizendo bom dia. As cores da rua e o céu azul, uma bela companhia.
Tem gente que insiste em não acreditar que meu coração está sem vontade alguma de amar. Inevitável, eu sei. Agora tudo é diferente. Nada é permanente, mas o "nunca" não permanece para sempre.
Não quero mais passar os segundos esperando qualquer sinal de quem não sabe se quer voltar, mas acabo fazendo isso sem querer, sem pensar.
Um dia, quero abrir os olhos e ao olhar pro lado encontrar a paz. Dedilhar em seis cordas o quão feliz esta vida me faz.
Ao contrário de muita gente que implora uma companhia, seja ela amada ou não, eu quero reconquistar um pouco de esperança pro meu coração e preciso estar fazendo companhia apenas a mim mesma. Um dia voltarei. É temporário. Acredite, estarei em boas mãos. Enquanto isso, muitos confundem estar só com solidão...











e quem foi que disse que sentimentos precisam ser ditos?
ontem mesmo eu disse, eu troco o dito pelo não dito.
as palavas, por uma harmonia...






beijo ♥

sexta-feira, 23 de outubro de 2009


Escrevi e reescrevi. Rabisquei, rasguei, amassei e joguei fora. Peguei uma folha em branco e coloquei a cabeça para funcionar. Idéias vieram, idéias sumiram. Rodei a caneta entre quatro dedos, a impaciência me devorava.
Como poderia dizer? Por ser sincero, era tão complicado. Não deveria ser assim. Mas era.
Olhei para a janela e pude ver as nuvens - por um momento me distraí com suas belas formas. Olhei para o papel e o papel olhou pra mim. Sorri. Sem me dar conta, tinha acabado de fazer uma troca: o dito pelo não dito. Descobri que prefiro o subentendido do que o própriamente dito.
Levantei da cadeira, tomei o último gole de café, peguei a jaqueta e parei com a mão na maçaneta. Sorri de novo. Voltei a encarar o papel. De repente, o que era difícil, tornou-se extremamente óbvio. Tirei a tampa da caneta e registrei na folha com letra maiúscula: EU TE AMO. PARA SEMPRE.















Obrigada a todos que estão comentando aqui no blog. Sério mesmo. Estou amando.
Beijo grande a todos vocês.





quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Desejos e silêncio


Calafrios. Ou não: mais do que isso.
Deixa-me sentir. Chegue mais perto para que eu possa sentir teu cheiro e ver todas as tuas cores bem de perto. Ria em meu ouvido. Deixa-me tocar teu cabelo com minhas mãos geladas e trêmulas.
Sinto que hoje cresci um pouco mais, nos pensamentos e nos atos. Aprendi que a força das minhas palavras está justamente no espaço onde elas não são ditas: no silêncio. As entrelinhas permanecem nos gestos enquanto o ponteiro das horas parece apostar corrida com o dos segundos (que é o que acontece quando estou contigo).
Eu não estou procurando algum coração para poder destruir. Quero um coração (apenas um já é mais do que suficiente) para poder dizer: sim, o meu também bate por você.
Preciso que esteja muito perto. Mais do que jamais esteve. E deixa-me cantar a poesia que sinto em teu abraço. Deixa-me curar tuas feridas com um beijo. Quem sabe as minhas não secam também? Deixa-me acender teu fogo. Não sou tão diferente assim. No final das contas, o desejo também arde em mim...

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Momentos

Na foto: Waterfall.



Viva. Ame alguém muito mais do que a si mesmo e quebre a cara. Mas ame. Garanto que a sensação do durante é uma das melhores.
Faça muitas loucuras. Seja expulso da sala de aula, mate aula, passeie de carro em lugares perigosos e lindos, cante na rua, dê uma gargalhada ao ver o sol se por. Dê um grito bem alto de estourar os tímpanos. Tenha calma, seja uma pessoa centrada. Tenha responsabilidade. Responsabilize-se quando for irresponsável. Pense antes de falar. Aceite todas as conseqüências de seus atos.
Seja traído e dê risada disso. Acredite, o idiota não é você. Não se prenda às dificuldades: ria! Isso mesmo, ria a toa. Ria com vontade, até mesmo quando não puder rir. E quando sentir vontade, chore. A verdade é que todos te machucarão pelo menos uma vez então chore de soluçar, até que não tenha mais forças. Se jogue de cabeça na solidão e não deixe que lhe tirem de lá até que se sinta preparado para isso. Chore por amor e de ódio. Chore quando estiver feliz por um sonho que não morreu e virou realidade.
Acredite em tudo que seus olhos são capazes de ver. Desacredite em quase todas as pessoas e nas palavras que lhe escapam da boca.
Coma porcarias até quase explodir. Cuide da sua saúde e corpo. Desobedeça as regras.
Faça amor e muito sexo (com quem você ama). Olhe nos olhos, beije com ternura. Demonstre desejo. Apaixone-se pelo irreal e pelo impossível: sonhe. Tenha um bom papo. Diga “eu te amo”, não dói. Sinta. Viva tudo isso, essa sua vida de momentos é linda, mas certifique-se de que você não está vivendo apenas deles.







Música da semana: You're so vain.
Vídeo dela no post abaixo. Sério. Escutem.
Carly Simon tem sido MARA... ♥

sábado, 17 de outubro de 2009

Água e fogo


Dizem que as águas são traiçoeiras, não importa se você sabe nadar.
Sempre gostei de água apesar de sentir uma atração incontestável pelo fogo, que também é temido. Aliás, porque todo esse medo do fogo? É bonito, intenso, produz faíscas e arde. E também machuca. Como o amor.
Acho que todas as pessoas são muito da água e pouco do fogo (ou ao contrário). As que tem a água na alma, são pessoas de aparência serena, que tem sobre si um disfarce absolutamente perfeito. Já as que tem o fogo, são pessoas que claramente possuem intensidade, começando pelas palavras e terminando nos olhos: de dentro pra fora.
Temos mais água do que fogo no mundo, é claro. Se você pensar bem, poderá perceber. A água é considerada por muitos um símbolo que traz paz. Mas não. As águas estão nos oceanos, nas chuvas, nos rios, nos lagos. E o fogo, onde está? Comemorando festas de aniversário, esquentando pessoas no frio e principalmente dentro de cada alma que sente (verdadeiramente) o amor. E o desejo.
Enquanto isso, pode não parecer, mas as águas seduzem muito mais do que o fogo. Aquele barulho encantador do oceano... está te convidando a entrar, não está? Sei que é irresistível, mas talvez a intenção seja te afogar.
E o fogo continua por aí, em algum lugar. Perdido? Talvez. Não quero pensar sobre isso agora. O tempo está quente e preciso de um copo d'água para sobreviver. Aliás, essa noite estou pegando fogo.







E o que fazer com essa saudade de uma época que eu nem ao menos vivi?
Queria que existissem lugares onde tivesse esse estilo de música.
Enfim, deixe pra lá. São 5 da manhã e eu apenas quero ver o sol nascer. Dispenso smokings, flores, perfumes, taças. Quero dançar mas...quem aceitaria dançar comigo?







Foto: Sim, tirada por mim.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009


Sempre há um caminho a ser escolhido, mas nem sempre fazer uma escolha é o caminho certo.
Procuro dar a todas as pessoas que amo, uma direção a seguir. Faço questão de deixá-las, muitas vezes, em uma bifurcação. Só assim saberei qual o valor que me dão.
Não digo que é isso lhe fará feliz, não estou aqui para fazer promessas, mas garanto que as chances são grandes. Deixo aqui, registrado com todas as letras, o meu caminho: Apesar de tudo, mantenha a cabeça erguida e em hipótese alguma deixe de olhar apenas para frente. Preste atenção nos seus obstáculos, que são os galhos das árvores. Não segure a primeira rosa que lhe aparecer na frente: sim, é muito bonita, mas todos sabemos que tem espinhos. Se encontrar algum pássaro sozinho perto do lago, não o espante, talvez ele goste da solidão. Se encontrar vários pássaros juntos, alimente-os. Não acredite em todas as pessoas que encontrar, porque elas são apenas humanas e os humanos mentem - sem contar que, se precisarem, fazem isso encarando seus olhos. E você, por ser da mesma raça, nunca minta para mim. Nunca. No momento em que fizer isso, não irei te perdoar. Quando chegar na bifurcação, faça sua escolha: Se virar a esquerda, encontrará alguém que te ama, não pelo que você é, mas pelo que você tem. Pelo seu corpo, e não pelos seus olhos. Alguém que, assim que te ver, lhe dirá: Você fica tão bem nessa roupa.
Se virar a direita, não encontrará alguém que te ama. Encontrará alguém que sente algo muito mais forte do que isso. Alguém que ficaria te olhando a vida inteira, apenas sorrindo e bastaria.
Siga seu coração, mas cuidado: suas mentiras seguem o mesmo caminho que você, mas sempre na contramão...













Mentiras, mentiras, mentiras.
BLÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Preciso de uma verdade (boa) qualquer. Uma só.






Agora!!!!

.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Não quero escrever um texto com rimas, muito menos escrever sobre alguma coisa específica. Só estou com vontade de falar a primeira coisa que vier na minha cabeça.
Deu saudade desse lugar, desse dia. Eu sei que não fiquei nem 20 minutos alí, mas o pouco que fiquei, parei o tempo. Afinal, qual a melhor maneira de parar o tempo se não uma foto? Pena que a distancia entre parar o tempo e voltar nele, é muito grande, mas francamente, eu não voltaria, simplesmente porque eu faria tudo da mesma maneira...e pra que fazer tudo de novo, se posso fazer coisas novas e talvez melhores?
Ah, quantas perguntas...
Hoje as coisas estão completamente estranhas, ou sou eu, das duas uma. Na verdade, eu queria poder deitar a cabeça no ombro de alguém e ficar conversando a noite inteira. Claro que não faria isso com um alguém qualquer. Quero estar com alguém que mê dê segurança, que eu tenha absoluta certeza de que nunca sequer pensou em mentir pra mim. Quero estar com alguém que me faça rir muito e que dê risada comigo também. Obviamente que aparências não são levadas em conta: gosto do barulho da risada, o som da respiração, a forma que os olhos brilham, a voz, o jeito dos movimentos... enfim. Sou uma idiota.
O mais engraçado é que por mais que eu queira tudo isso, essa noite não quero nada disso. Hoje quero algo que tenha gosto de novidade, que mate minha curiosidade. Aceito uma taça de Dry Martini...










O feriado já acabou. Meu Deus, como passou rápido. Não tenho do que me queixar.
Sei que já é 15 de outubro, mas feliz dia das crianças pra todo mundo de novo.
Ah, e pra quem é professor, feliz dia dos professores!





Midnight Bottle.
(L)³

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Aparências...


É claro que julgar uma imagem é muito fácil. Alí está: uma garota sentada em um lugar alto, provavelmente explodindo em sua própria solidão e completamente infeliz. Pronto. Foi extremamente simples, não foi?
Não. Nem sempre vemos a verdade. Nem sempre o que as pessoas falam por aí é verdade. Posso dizer que estou vestindo uma blusa preta e um jeans velho e que agora são 3 horas da tarde e com toda certeza você irá acreditar. Ora, não seja ridículo. A verdade é que estou de pijama e são 4:04 horas da manhã. E quem garante que isso também é uma verdade? Ninguém garante: ou você confia ou não confia. A única coisa que é certa é que as pessoas falam mais do que podem fazer e quem realmente faz é aquele que nada diz.
Isso mesmo, esse vazio agora em sua cabeça, essa sensação boa e ao mesmo tempo ruim que te dá prazer e num simples andar dos ponteiros, te leva à agonia, é o que chamamos de silêncio.
Preste atenção naquela garota sentada no alto. Uma cena triste, nesse teu mundinho medíocre. Você é apenas capaz de ver as mentiras, ou melhor, as verdades que só você enxerga. Você já parou pra pensar que talvez essa garota não esteja triste? Faça tua aposta.
Deste lado, eu continuo tendo uma visão mais ampla. Não acredito que ela esteja derramando sequer uma lágrima. Acho que está admirando o céu, procurando desenhos nas nuvens, rindo sozinha. Não posso afirmar com tanta convicção, isso é só minha imaginação, mas ainda não acho que ela esteja pensando em se matar. Acho que está pensando: Será que eu consigo voar?

terça-feira, 6 de outubro de 2009


Engraçado quando me perguntam quem sou eu. Acho que não tenho como responder a essa pergunta, porque estou em constante mudança. Hoje sou legal, estou bonita e de bem com a vida, mas amanhã posso estar azeda, sem vontade de me arrumar e sair na rua com a cara fechada e vestindo roupas velhas e rasgadas. Eu não sou uma só, sou dos momentos. Sou mulher quando preciso, mas sou uma menina que gosta de estrelas, lua, pôr-do-sol e borboletas coloridas na maior parte do tempo. Sei tomar minhas decisões, embora muitas delas me cortem a alma, mas também peço ajuda às pessoas que são mais experientes. Simplesmente amo quebrar regras. Nada de muito grave, é claro, mas todo mundo dá suas escapadas e eu não sou uma exceção. Eu gosto demais do errado para me dar ao luxo de fazer só o que é correto. Se amar todas as coisas e as pessoas fosse um crime, estou plenamente certa de que eu seria uma fora da lei.

Gosto também de brincar com palavras, sejam elas simples ou complicadas. O jogo das palavras me interessa, e muito. Gosto de praia e gosto do amor: a maré me encanta e amar é rir sozinho em um canto.

Sou ciumenta e possessiva. Acima de tudo sou contraditória: quando estou brava, gosto que me digam que fico linda irritada e me dêem um beijo daqueles de tirar o fôlego.

Não sou tão diferente como pareço ser, para dar um exemplo é só dizer que tenho algo em comum com Cazuza e Frejat: eu sou poeta. A única diferença é que eu nunca aprendi a não amar...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Estrela cadente


Faça um pedido. Pode ser qualquer coisa, até mesmo algo que tenha perdido.
Os desejos bailam escondidos na escuridão nesse teu jeito bobo de entregar o coração e os beijos que não foram dados, certamente estão guardados.
Aproveite ao máximo este segundo que não voltará. Tenho certeza que outra delas, algum dia, também cairá.
Foi tão rápido que quase não notei, mas aconteceu e eu presenciei. Bem naquele lugar onde pensei que nunca mais iria voltar, aconteceu. Não sei como, mas aconteceu. Olhei pro céu e ali estava, juro que não imaginava. Num repente, percebi que não era uma ave, muito menos uma aeronave, mas também não era nada assim tão diferente: era apenas uma linda estrela cadente...







Beijo beijo.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009


Todas aquelas luzes coloridas pareciam dançar em um ritmo irrevogavelmente perfeito dando vida àquele imenso lugar. Homens e mulheres, todos com um sorriso no rosto. Não sei se eram sinceros, mas pelo menos me pareceram felizes. Tudo seguia uma harmonia, exceto por aquela garota sentada na última cadeira contemplando com um ar sereno apenas o nada. Talvez fosse a pessoa mais bonita que estivesse alí naquela noite. Vestia uma camiseta branca simples, uma calça jeans surrada e um All Star impecável. Seu cabelo estava todo bagunçado e tinha nos olhos, estampada sua solidão. É claro que como todo mundo, tinha amigos, mas aquela noite tudo estava diferente. Seus amigos não puderam estar alí e ela sentia saudade.- Ah, a saudade! Um sentimento muito interessante, pra ser sincera. Dizem que às vezes é bom sentir, ou deixar que as pessoas sintam. Particularmente, eu discordo. Acho que deveria ser tão abominável quanto o preconceito. Acho que deveria ser fácil de controlar, assim poderíamos sentir algo suportável, ou poderiamos apenas não sentir. - Mas com toda certeza, incontrolávelmente, a garota sentia. Saudade dos amigos, das pessoas que tiveram que ir embora e também, do seu amor. Muitas coisas haviam acontecido e sua cabeça girava. Era incapaz de entender. Porque tinha que doer tanto? Será que estava crescendo e aprendendo a deixar, com um sorriso no rosto, que a vida lhe batesse com força na cara? Se fosse isso, não queria crescer, mas pelo jeito, não havia escolha.
Nos últimos dias aprendera muito sobre as pessoas e mesmo assim, sua ingenuidade permanecia intacta. Soubera o verdadeiro significado da palavra saudade, mas agora que estava decididamente mergulhada em solidão, já não sabia mais se a saudade estava matando ou se estava morrendo...










Quando eu soltar a minha voz por favor, entenda. É apenas o meu jeito de viver o que é amar...



Bisous.

terça-feira, 29 de setembro de 2009


Hoje acordei de riso fácil. Pude ver estrelas no céu, mesmo sendo dia. Sei que estão escondidas alí esperando anoitecer, para poder dar brilho à escuridão. E eu também estou me escondendo. Não deveria contar isso agora, mas não há outro jeito. Se não for assim, serei descoberta.
Ultimamente, me escondo dos sentimentos e da dor que estes causam. Me escondo das pessoas, me escondo dos fatos. Estou invisível, mas apenas para aqueles que querem que eu esteja. Eu também tenho as pessoas que me vêm nesses momentos e, a cada uma destas, deixo uma parte do meu coração como agradecimento. Afinal, quem disse que um coração precisa estar inteiro para continuar batendo...ou para continuar amando?

Tenho hoje, uma tarde cinza para contemplar. Vou esperar anoitecer e assim, procurarei estrelas. Se não encontrá-las, só me restará preparar uma taça com meu Dry Martini e não esquecer de que estamos na estação das flores...











Pensamentos. Apenas isso...

domingo, 27 de setembro de 2009


Foto muito velha.


Ia escrever alguma coisa, mas perdi o pensamento...






É. Simplesmente perdi.




E agora corro o risco de ficar doente. MARA! (Y)







argh.







Tragedy. With no one to love you, you're going nowhere...

quarta-feira, 23 de setembro de 2009


Destrua, mas que seja agora. Que seja tão rápido quanto piscar os olhos. Que a dor venha de uma só vez e a ferida sangre até a última gota e se transforme enfim, em uma eterna cicatriz. Toda dor acaba e deixa uma marca, uma lembrança.
Eu certamente prefiro um tapa na cara do que algumas palavras, por isso concordo que às vezes elas têm que ser omitidas dando lugar ao silêncio de uma forma em que quase possamos tocá-lo.
Tenho uma vontade igual àquela que todo mundo já teve uma vez, sem exceção: voltar no tempo. E não, não seria pra fazer tudo diferente. Eu faria tudo de novo. Apenas voltaria pra ver tudo da mesma forma como vejo agora. Talvez doesse menos, talvez doesse mais ou talvez não faria diferença, quem sabe?
Queria queimar algumas palavras que foram ditas e ficaram gravadas na minha memória, assim, as mesmas se transformariam em cinzas e voariam com o vento sem ter ao menos algum sentido.
E aqui é o lugar onde começo a ter um certo receio das palavras. Elas são traiçoeiras, me fazem voar e esperam ansiosamente o momento certo de me derrubar. São como rosas: bonitas e charmosas, mas às vezes têm espinho e são dolorosas...








Send me letters from above...
Forever, forever I will see you...






Forever.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Veja! São as águas de Setembro anunciando a primavera.
O que será que me aguarda? Verei flores ou me machucarei com seus espinhos?
Flores! Poderei entregá-las de surpresa para um certo alguém?
Rosas amarelas, rosas vermelhas, lírios, violetas ou uma simples margarida. Qual delas eu ganharei?..... Ganharei?
Não importa. O amor não se resume em flores, muito menos em palavras que são completamente descartáveis agora e sempre foram.
Preciso que o mundo me escute e tem que ser agora. Tenho que falar quais são as coisas que eu acredito, porque meu amor nunca se resumiu em palavras ou em flores. Pra mim, amor é isso. Mesmo não sendo, que seja para sempre ainda que o "para sempre" não exista. Eu acredito.





-Depois de algumas fotos boas, lá vai uma péssima. Tirei hoje as 18h18. Mais precisamente falando, no início da primavera.
Sim, eu tinha acabado de tomar chuva e eu acho que tinha esquecido o quanto gosto disso. De qualquer forma, é por isso que estou linda assim na foto, HAHA!

Não tenho mais nada a dizer, a não ser que o Djavan é um gênio.
" Eu só sei que amei, que amei, que amei, que amei... "
Se um dia eu for num show dele e conseguir falar com ele, juro que vou dizer que ele deve ser uma das pessoas que mais me entende.
*-*




Um beijo especial pra você que precisa mais do que nunca ser forte agora. Sim, as palavras são completamente descartáveis, mas não quando são ditas pra você. A não ser que elas venham de outra pessoa que não seja eu, aí poderão ser descartáveis...ou não.
;)





Será talvez que minha ilusão foi dar meu coração com toda força...? -♪
(Flor de lis)




E por falar em flores....
Tchau inverno. Nos veremos no ano que vem.
Bom dia Primavera, seja bem vinda :)

domingo, 20 de setembro de 2009


Abriu os olhos e no exato segundo em que o fizera, nenhum pensamento invadiu sua mente. Como gostava daquela calmaria instantânea...
E logo a vida batia com força na porta do quarto, forçando-a a se levantar. Não importava em quantos batimentos por minuto estava seu coração, não importava se ela tinha sentimentos ou não. A vida lhe chamava e ela insistia sempre em ir correndo dar bom dia à palavra amor.
- Bom dia, sol. Bom dia, pássaros. Bom dia. Bom dia, mundo!
A resposta não viera, e o dia continuou. Foi quando um carro buzinou que ela se deu conta de que estava parada no meio da rua, perdida em seus pensamentos diante de milhares de olhares curiosos.
Pensava em tanta coisa, mas naquele momento estava pensando no vento. Estranho, incomum até, mas era verdade.
Será que se sussurrasse seus sentimentos, o vento levaria ao destino certo ou as palavras se perderiam?
Havia se perdido de novo em seus devaneios. E de repente, alí estava. De todos os lugares possíveis e imagináveis, logo ali. Vestia um jeans claro, desbotado, um tênis daqueles rasgados e uma blusa simples, toda surrada. Não tinha um rosto de modelo, não tinha nada incomum, mas era o rosto que ela queria ver todos os dias ao acordar.
Seus olhos se encontraram. E se tornaram prisioneiros um do outro. Se naquele momento amar fosse pecado, aceitariam a sentença.
Foi quando abriram seus sorrisos mais sinceros que os corações dispararam. Começaram a andar na mesma direção e quando estavam quase perto, ela caiu e derrubou tudo o que segurava. Porque essas coisas só aconteciam com ela? E logo sentiu uma mão quente encostar na sua, ajudando-a ficar de pé. Abriu a boca pra falar, mas fechou quase instantâneamente. Não conseguiria.
- Você está bem? - como aquela voz era linda. E nem ao menos a conhecia...
- Estou. - tornara-se monossilábica.
- Não vou perguntar seu nome, garota desastrada. Não vou perguntar se você é daqui, aonde você mora, muito menos seu telefone. Não que eu não esteja doente para saber, mas algo me diz que nos reencontraremos. - e sorriu. Um sorriso torto, encantador, que ela logo percebeu que seria seu preferido.
- Como tem tanta certeza disso?
- Apenas tenho.
Se encararam por quase 10 segundos.
- Preciso voltar pra casa, mas preciso saber de uma coisa antes. Onde foi que você esteve esse tempo todo?
- Perdida...sabe como é, nos meus pensamentos.
- Foi bom. - sorriu novamente - Foi bom ter te encontrado. - e caminhou na direção oposta.
E ela voltou pra casa encantada, dessa vez pensando naquele sorriso, naquela voz...
Aquela noite ela sonhou e ao abrir os olhos, respirou fundo e disse:
- Bom dia pra você também, sol. Bom dia pra vocês também, pássaros. Bom dia. Bom dia pra você também, mundo.



...



Mesmo que tenha ficado idiota, foi a cena que me veio na cabeça...
Ese tudo isso fosse um filme, na hora em que os olhos se encontraram, a música seria:

Exatamente em 2:39.
Estou completamente apaixonada por essa música. Escrevi ouvindo ela...e passei o dia todo ouvindo também, haha



Quem me dá sossego
Também tira meu sossego
Quem tem meu tempo
Também invade o meu sono
Quem vê meus medos
Sabe que eu nasci cedo
E quem têm minha verdade
Sabe que na verdade eu queria estar com você
Você estando bem
Está tudo bem


É. É perfeita. Principalmente essa parte...






Quem tem minha verdade sabe....
;)

sexta-feira, 18 de setembro de 2009



Só agora percebi que há algum tempo aprendi uma coisa sobre a vida. Talvez seja interessante, talvez irrelevante.
Não, eu não preciso de rimas pra escrever, é que às vezes, elas saem sem querer...
Descobri que TUDO, com as quatro letras e em maiúsculo, tem uma condição. Apesar de, se, ainda que, mesmo assim....enfim. Apesar de estar surda, queria ouvir sua voz. Se eu não doesse tanto, eu estaria rindo. Ainda que o tempo passe rápido por mim, continuarei sempre aqui. É. Mesmo assim, estou aqui.
Apesar de ser tão quente, todo deserto sente falta da água.
Apesar de existirem infinitos sabores de doce, todo mundo tem seu favorito (mesmo que seja segredo, ainda que esse "segredo" tenha sido revelado para um melhor amigo).
O mundo gira, mesmo que não possamos ter essa sensação. Todo coração bate forte por amor pelo menos uma vez, ainda que ninguém perceba. Toda mundo gosta de música, embora algumas pessoas não consigam realmente escutá-la.
E é assim que eu sou. Posso sorrir apesar de estar chorando, posso ir embora para sempre dilacerando meu coração. Ou não...
É. Eu sou. Apesar de, é assim que eu sou.












Música pro post: Lobão - Me chama

Tão bom escrever ouvindo essa música. Tão...fácil!





Me telefona, me chama, me chama... ♪





Mágica no absurdo...!

terça-feira, 8 de setembro de 2009


Música é, definitivamente, o mais nobre dos presentes que alguém pode ganhar. Não sei se é o melhor, mesmo porque não tenho o dom de saber o que cada um gosta mais, mas com toda certeza sei que uma música nunca poderá morrer como uma flor, nunca poderá ser roubada como uma jóia valiosa poderia. Uma música não assina contrato de compromisso, é claro. Podem dizer adeus, desculpas, agradecimentos, declarações, enfim.
Eu já ganhei uma música de presente e acho que toda pessoa deveria ganhar uma. E é por isso que eu faço música, para as pessoas. Pra que todos me escutem e entendam, que essa chuva de sentimentos molhe todos ao meu redor. Preciso cantar o que sinto, escrever o que eu sou, mas não preciso disso apenas agora. Precisarei sempre, ainda que muitos não acreditem no para sempre. Não importa, eu acredito e basta.
Se alguém me esquecer, peço que não me esqueça de uma só vez. Primeiro esqueça do meu beijo, do meu toque, dos meus olhos, das minhas palavras...até que ligue o rádio e se esqueça completamente de me esquecer.




*
Não sei, precisava escrever e nem sei porque. Não tenho muito tempo pra ficar aqui também.
É engraçado não ter tempo, mas é isso. Preciso sair um pouco da frente dessa tela...
Depois eu volto e leio algumas coisas da Clarice Lispector, que tanto me encanta...



Aliás, quem quiser ouvir minha música nova, só me pedir no msn.
Quem não tem meu msn: eloa_sl@hotmail.com :)



Beijos para sempre.

terça-feira, 1 de setembro de 2009


Hoje escrevo pra contar um segredo. Um segredo que talvez ninguém entenda, mas mesmo assim preciso contar.
Tenho visto seus olhos apenas desenhados em belos retratos. Não conheço seus movimentos, não sei qual é o timbre exato da sua voz, mas sei que seus olhos são castanhos e que você tem o sorriso mais lindo que já vi até hoje. Sei também de tudo o que você gosta, sei o que te encanta e estou certa de que posso te fazer sorrir.
Escutei por aí que seu maior desejo era voar bem alto. Se for mesmo verdade, simplesmente segure minha mão e eu te levarei até a lua e nela sentaremos para contemplar estrelas e se você quiser, roubo uma pra te dar de presente, mas me prometa que guardará num lugar escondido, porque é fato que todos querem uma estrela mas só os mais especiais são capazes de ter uma e conservar seu brilho. Em mãos erradas - da maioria - ela apaga. E aí o que seria do céu sem seus pequenos pedaços de encanto?
Sei também que você gosta de coisas simples, por isso estou escrevendo isso agora. Não digo que você nunca o lerá, porque "nunca" é tempo demais, mas mesmo que não leia hoje, amanhã...ou daqui a dois anos, não importa. A única coisa que importa é que estou pensando em você agora e esses dizeres são irrevogávelmente seus.
Essa noite vou me manter acordada, caso precise de mim de alguma forma. Se estiver triste, pense que alguém aqui quer te fazer feliz e, se estiver feliz, pense que estou com você. E enquanto estiver dormindo, eu estarei sonhando acordada com a sua voz, já que o telefone não irá tocar.
Não sei o que fazer. Meu sorriso não te afeta, minhas canções não te encantam, e meu beijo ainda é desconhecido. Você está longe e não me vê, mas certamente eu vejo você...




Música do post: Ryan Cabrera - True.



um beijo.

domingo, 30 de agosto de 2009


Aqui é o lugar onde as horas param, onde os segundos adormecem rapidamente e não se atrevem a acordar.
Aqui é o lugar onde tudo acontece. Anjos existem, pessoas voam, fogo não arde, água não molha e tudo tem cheiro de encanto com um sutil toque de magia. Apaixonante.
Não escute o que eu digo, não leia minhas palavras, espere o impossível como eu esperei. Viva por mim da mesma forma que morri por você.
Não procure me entender pelo que escrevo, sou um mistério até para mim mesma. O perigo me fascina, o que é proibido irresistivelmente me seduz.
Enquanto estou aqui em um quarto escuro, dentro dos meus pensamentos tudo acontece ao mesmo tempo que nada acontece. Do lado de fora, o mundo explode. As pessoas continuam com a mesma cara-de-pau, com a mesma ironia e eu continuo dedilhando essas cordas, embriagada. Aqui do lado de dentro existe um coração destruído, um grito fazendo eco no silêncio...e tudo acontece.
Tenho passado os dias apenas tendo pesadelos, como se tivesse adormecido profundamente sem saber quais decisões tomar, mas logo vou acordar...







***
" A gente escreve como quem ama. "

" Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite "

" Às vezes sentava-se na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo. Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante. "

" Tenho vontade de escrever e não consigo (...) O que escrevo está sem entrelinha? Se assim for, estou perdida. "

" Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar... "

Clarice Lispector!


Porque com toda certeza, ela seria uma das únicas pessoas que me entenderia sem que eu precisasse dizer uma palavra sequer. Passei a semana toda lendo frases dela e algumas delas (muitas delas, na verdade), me descrevem até mesmo de trás pra frente.
Tenho olhado essa foto do post também todos os dias da semana. A foto é indiscutívelmente encantadora, então quanto à ela, mais nada a dizer.
As horas que costumavam voar parecem estar paradas, mas quando eu vejo, já é Setembro. Estação das flores!
E o frio finalmente começa a ir embora. Dias claros e coloridos. Estrelas!
Hoje o céu estava vermelho em uma parte....e a lua alí...17:30! Impossível explicar como isso me encanta. Impossível.


Música do post:

De 00:00 até 00:45 é meu mundo exterior.
E de 00:45 pra frente, é minha explosão de sentimentos. Meu interior.



Simples.

terça-feira, 25 de agosto de 2009


De repente, não mais que de repente, a embriaguez havia me tomado por inteira. Não por ter ingerido álcool, pois deste, não havia uma gota sequer correndo em meu sangue, mas sim, por um sorriso que ganhei.
Me apaixonei quando nossos olhos instantaneamente se entenderam. Quando percebi que sua beleza era incontestável e seus gestos simplesmente me trouxeram de volta à vida. Essa vida de urgências, composta pelos extremos: o amor e o ódio, o medo e a coragem. Se o amor não existisse, o ódio morreria de amor. Se a coragem fosse o mais nobre dos sentimentos, os mais fracos temeriam apenas o medo. Quanto às urgências, eu também tenho as minhas e, na atual situação de completa embriaguez, estou sedenta por um beijo. Imagino apenas...que gosto terá, com o que poderei comparar a sensação. Talvez com ondas que se desenrolam suavemente belas causando fortes estrondos ou com dias tempestivos que chegam sem avisar e me deixam profundamente mergulhada na distração com um sorriso desenhado nos lábios ao ver as pequenas gotas d’água escorregarem alegremente pela janela do quarto, trazendo-me a sensação de eterna calmaria.
Gostaria de poder dizer tudo o que sinto nesse momento, mas não posso. Tenho segredos confiados à minha alma que só poderão ser revelados em silêncio. Afinal, sou seu enigma. Sou seu medo, suas angústias, o motivo de cada sorriso. Uma verdade que jamais encontrará igual, nem ao menos que seja digna de comparação. Sou sua diferença, o segredo que mais lhe faz feliz.
Essa noite as estrelas me encontraram antes mesmo de anoitecer. Eu acreditei que as veria e por isso, ali estavam, rindo para mim. Não vejo loucura alguma nisso.
E de repente, nada mais que de repente, alguma parte do meu infinito virou poeira. A sanidade me invadia agressivamente por todos os lugares. Havia o silêncio, tão fácil de ferir, de manipular. Mas eu não sou mulher de me curvar logo no final da luta, mesmo que já tivesse falhado muitas vezes antes. Não sou mulher de aceitar o fim. Cravo minha espada no silêncio, ferindo-o barbaramente, até que meus segredos sejam finalmente revelados ou perdidos para todo o sempre.
Não sei o que dizer. O silêncio da minha alma é refletido em meus olhos e como sempre, fala tudo por mim.
Ainda que venhamos a nos tornar apenas uma vaga lembrança de nós, seremos sempre você eu. É o que é certo.








I have nothing left to say, it's only words and what I feel, won't change.

terça-feira, 11 de agosto de 2009


Tudo muda. As pessoas mudam, o tempo muda, o mundo muda.

Logo ontem eu era água: fria, sem cheiro, sem cor e sem gosto. Hoje sou vinho: quente, vermelho e entorpecente.

Sendo um vinho, é claro que tenho muitos segredos a contar. O primeiro é que poucas pessoas sabem como desfrutar realmente do meu sabor. A maioria vira a taça em um gole só e nunca mais sequer se lembram do gosto e por fim, acabam voltando a beber apenas água.

A verdade é que uma taça, mesmo que pequena, de vinho, é essencial todos os dias. Um vinho deve ser ingerido com delicadeza e uma certa lentidão. Tome o primeiro gole e sinta queimar a garganta até que lhe suba o calor por todo o corpo. Quando chegar na metade da taça, perceba como as surpresas são intermináveis. Vinhos são misteriosos. Sinta-se perdendo a sensibilidade dos dedos, o fio dos pensamentos. Entregue-se.

Quando a madrugada estiver chegando ao final e os primeiros raios de sol começarem a dar algum sinal de vida, entorne o último gole com sabor de uma vontade de outra dose ainda maior do mesmo vinho.

Um vinho pode ser suave ou seco. Os vinhos secos têm o gosto da traição, da hipocrisia, da saudade, da falsidade e da mentira. Os vinhos suaves têm o sabor do amor. O cheiro de como as coisas acontecem perfeitamente seguindo uma harmonia muito bem ensaiada. Talvez já inventada há muito tempo.

Nós, os vinhos, somos cheios de segredos. Somos perigosos. Podemos levar uma pessoa à loucura em questão de segundos e causar dependência eterna. Se não ingeridos da forma correta, excessivamente, somos letais. Algumas pessoas tomam em um gole só, outras experimentam uma vez e depois nunca mais, simplesmente por medo do perigo. Outras, as que tem coragem o suficiente de temer apenas a covardia, essas sim sabem como provar do nosso veneno.

É assim que deve ser. Quero alguém que beba pequenos goles, porém intermináveis de mim toda noite. Goles intensos. Vinho com morangos, vinho e rosas, vinho e beijos... seja lá qual for a combinação, quero alguém que se entregue completamente aos meus efeitos, que prove o meu gosto e jamais se esqueça. Alguém que prove uma pequena parte do meu veneno, que não seja em um gole só, mas que mesmo assim, enlouqueça...








À solidão que beija meus lábios dócilmente, um abraço.
Aos invejosos que me dão nojo, uma gargalhada.
Aos meus amigos que tanto amo, absoluta lealdade.
À você que talvez nunca leia essas palavras, toda minha vida...



Beijos...
Beijos para sempre!