quarta-feira, 12 de maio de 2010

Déjà vu


Xícaras de café, maços de cigarro e copos de cerveja vazios. Típico de uma roda de poetas, curtindo a vida boemia.

Beethoven e Chopin tocando na vitrola. Romantismo dos corações até os ares, numa espécie de viagem só de ida e sem parada. Romance que se preza é aquele que expulsamos da alma e não precisamos de volta, por que sempre há o que expulsar. Todos os corações batendo em um ritmo só.

Homens de terno e gravata, mulheres de longo – essa era a lei. Sorrisos para eles, botões de rosa para elas. Simplicidade costumava arrebatar a todos. O incontestável também.

Eis a antiga realidade - um frenesi.

O presente chegou de pára-quedas, ironicamente sem amortecer a queda, trazendo consigo o caos, a falta de romantismo e a falência entre cada par de corações.

Usar terno e gravata é cafona, presentear uma mulher com flores é piegas. Escrever um poema então, nem se fala.

Beethoven e Chopin caíram no mar do esquecimento que, inclusive, secou. Muito do que era foi esquecido – os valores, as verdades e as ideologias – e não volta mais. O que resta é a esperança. Ter esperança. Desistir da realidade de vez em quando, ou de vez em sempre, não faz mal a ninguém. Sonhar é bom. Déjà vu também.





I know the desert can't hold all the love that I feel in my heart for you. If I could spread it out across the sea, I know my love would cork it up...

2 comentários:

Makev disse...

Preciso falar mais uma vez que eu amo seus textos? já não chega o tanto que eu te encho no msn pedindo pra você fazer um desses pensando em mim? :D
pois é agora vou encher-te aqui também!
seus textos são perfeitos, usam uma leve sutileza nas palavras mas causam um forte impacto em quem os lê :D

amo tu tatu!
s2

Brian disse...

O que seria o romantismo?
Ninguem sabe... O romance que conhecemos hoje foi criado por poetas que nem mesmo sabiam, apenas sofriam... O que é o romantismo hoje?
O romantico hoje é mais forte...
Porque ele esquece os ternos, as flores e a poesia... Mas no silencio do olhar, no modo desconcertante que as palavras fogem ao estar perto de quem gosta lembram que o romance existe...
No mundo cercado de poesias baratas ... musicas vulgares... e olhares perdidos...
No silencio do olhar aparecem as mais belas poesias... Um poema singelo, sincero, que só os dois podem entender... E afinal, se torna mais especial quando só os dois lêem este poema conjunto

http://www.youtube.com/watch?v=xgKRbOuCgbI (musica sobre poesia de arnaldo antunes ;])