sábado, 30 de janeiro de 2010

Um sonho realizado...




Pois é. Dessa vez eu realmente não sei por onde começar, mesmo porque, se eu começar, corro um certo risco de nunca terminar.
Na foto que eu tirei: Dolores Mary Eileen O'Riordan Burton.
E o show... simplesmente o melhor da minha vida. E foi o meu primeiro show internacional. Estréia mais do que maravilhosa.
5 horas só pra chegar no Credicard Hall, depois mais 4 horas esperando na fila. "Marmiteira oficial do show", pôr-do-sol, ou seria nascer do sol? pessoas extremamente simpáticas, ansiedade...
E aí abriram os portões.
"Corre, figurona. Corre MUITO!"
Segurei na mão dela e saí correndo. E ela acabou de dizer: "vc tava me arrastando qdo a gnt entrouu..huaha". E foi aí que chegamos. Eu olhei pra ela, ela olhou pra mim. Começamos a pular.
"CAAAAAAA$#@$@$@!!!!! ESTAMOS NA GRADE FIG!!!!"...mil fotos nossas, do palco, do set list.
O tio Chico entrando no palco o tempo todo. A Dolores depois de milhões de almoços e jantas desejando loucamente alguns aplausos. A Pista Premium lotando, finalmente. E o calor subindo.
E de repente, a luz apaga. Os avisos chatos de sempre. Não é permitido câmera digital, por isso ninguém levou (A).
22h20. Entra o Noel, o Fergal e o Mike. E aí entra a Dolores. E os gritos quase derrubam o Credicard Hall. Eu mesma não sei como minha garganta está aqui.
How, Animal Instinct, Linger, Ordinary Day, Wanted, You and me, Dreaming my dreams, When you're gone, Daffodil Lament, I can't be with you, Ode to my family, Free To Decide, Waltzing, Back, Switch off the moment, Salvation, Ridiculous Thoughts, Zombie, Empty, Promisses, The Journey e Dreams.
Linger... sim, esse vídeo é de ontem. Não fui eu que gravei...foi o pessoal da UOL..achei no YouTube hoje e pirei, porque gravaram ontem e duas daquelas mãozinhas segurando uma câmera bem ali na frente...são minhas. E assim que a Dolores falou "... But it so good to be here with The Cranberries and I know you guys avoided for a long time. And this song we are gonna play for you is the first song we ever actually wrote together.... So... " e ai começou a tocar. Mas eu gritei. MAS EU GRITEI. E chorei no começo, claro. Na primeira nota eu já tava chorando. AUHUAHAUHUAH!!!
Linger é definitivamente uma das músicas da minha vida. Não pela letra, mas por tudo que essa música me trouxe. Nem acreditei quando a Dolores realmente gritou "I SWORE" no começo...e também quando ela mandou beijo.
Não sei em qual música eu gritei mais. Em Ode to my family ela desceu e a sortuda da Bia pegou na mão dela. *-*
Ganhei dois sorrisos da Dolores. Um quando imitei a dancinha dela com as mãos e outro quando fiz um coração no ar. *------------------------------*
E todo mundo pedindo Promisses desde o começo do show...e ela disse que não iria cantar porque não tava podendo forçar a garganta. Depois o pessoal começou a gritar: Promisses, promisses, promisses!
E ELES TOCARAM!!!!!
Foi lindo demais *-*
Sério, eu nunca gritei e pulei tanto na minha vida. Nunca fui tão empurrada pra todos os lados também, mas mesmo assim foi perfeito.
E ai quando Promisses acabou, eu comecei a gritar "Thank you, thank you, thank you"e no segundo seguinte, o Credicard Hall INTEIRO tava gritando junto comigo!
AHHHHHHHHH PQP!
E, no final, ouvir a Dolores gritar: "WE'LL COME BACK!"
e responder com toooooooooooooooooooooda a força da minha garganta:
"AND I'LL COME BACK FOR YOU!"
NÃO tem preço.
Não tem, não tem, não tem, NÃO TEM!

E o show terminou meia noite em ponto. E eu tremia tanto que achei que ia cair alí.
E no final ainda encontrei a Kheyla...depois de quase 2 anos! Muita, muita, muita saudade!


É. The Cranberries.
Melhor show da minha vida.


Tenho um corte na boca, que consegui morder quando tava pulando que nem uma doida e dores no corpo todo.Não sinto sono. Tô eufórica ainda. Acho que vai durar mais de um mês.
Acho que vai durar pra sempre.
Tomara.


EU ESTAVA LÁ!
*-*




E ela sorriu pra mim.
E bastou

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Cranbs


Só não comprei porque era chá e eu odeio chá.




Não tenho muito a dizer. Nem tempo eu tenho, pra ser sincera.
E outra, mesmo que tivesse algo a dizer, eu não conseguiria. De qualquer forma, nem palavras eu tenho.





It's not my imagination.



Linger, Stars, Go Your Own Way, Dreams, Animal Instinct, Promisses, Liar, Zombie, Just my imagination, Free to decide, Ode to my family, Twenty one, You and me....












UM DIA!!!!!!!!!!

domingo, 24 de janeiro de 2010

Breaking dawn


A esperança é a última que morre. É a última, mas morre. Afinal, quando foi que alguém disse que ela é imortal?


Não disseram.

E eu não disse que ela continua viva.




Mas também não disse que morreu.








Turn off the lights. Make yourself comfortable to fall asleep, I'm not going anywhere. I'm just going to see the sunrise...



" de todo o minimalismo
clichês e letras de música
de toda a minha literatura
você é ainda é a minha melhor página."
(M. Medeiros)


É. Clarice ainda é minha preferida e sempre será. Mas, sinceramente? Martha Medeiros não fica muito atrás não.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

3 em 1


3 apelidos:
- Loira
- Lô
- Loá

3 esquisitices:
- gosto do cheiro de livro novo
- gosto do cheiro de fósforo queimado
- mordo a língua toda vez que eu tô correndo ou prestando muita atenção em alguma coisa

3 cores:
sem essa!
- vermelho
- vermelho
- vermelho

3 músicas do momento:
- The Cranberries - Linger
- Boyce Avenue - Change your mind
- Ana Carolina - Confesso/Trancado/Nua... enfim, aquele medley todo conta como 1 só (haha)

3 lugares:
- praia
- palco
- meu quarto

3 manias:
- dizem que eu aperto os olhos conversando, mas eu nunca percebo...e acho realmente que eu não faço isso, mas enfim...
- pegar o violão e ficar tocando coisas nada a ver na frente do pc
- roer unhas

3 coisas que eu mais digo:
- " Ô mãããããããe! "
- " Nossa, que mara! "
- " É, ué. Não é? Pior! "

3 coisas que eu mais escrevo no msn:
- Rélou!
- pqp
- fiiiiiiiiiiiiiiiiig

3 frases:
- O mundo ja caiu, baby. Só nos resta dançar sobre os destroços. (Martha Medeiros)
- Ninguém é eu e ninguém é você. Essa é a solidão. (Clarice Lispector)
- Sem pensar em nada fez a minha vida e te deu. (Djavan)

3 saudades:
- Vô Lelo e Vô Neu
- Do 3º colegial, especialmente das aulas de português e biologia
- Dos Corrs, que já tá na hora de voltar, aliás :(

3 superstições:
- não deixo o sapato virado
- não passo embaixo de escada
- não entro em lugares com o pé esquerdo

3 seriados:
- F.R.I.E.N.D.S
- Charmed
- Heroes

3 filmes:
- O diário da princesa
- Antes que termine o dia
- Harry Potter

3 livros:
- Harry Potter (os 7)
- O Diário da Princesa (os 10)
- O Xangô de Baker Street

3 beijos:
- Mamãe e Papai
- Bedé
- Figurona







:)






Amor, eu te proíbo de não me querer.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

I hope it's gonna make you notice


I hope its gonna make you notice... -♫

Simplesmente porque desde a primeira vez que essa música tocou, eu estou apaixonada por ela. Gosto da voz do vocal, porque é rouca. Tá certo que nenhum outro homem ganha do Mick Hucknall do Simply Red, mas mesmo assim.
Adoro a letra da música, acho que ele foi extremamente sincero ao escrever. Acho que é a maneira que a maioria pensa hoje. Infelizmente.


Anyway...

***

Tudo é uma questão de como você vê. O que vem primeiro, o que vem depois: a dor ou o amor? Eu particularmente acho que foi o amor, mas também acho que essas duas palavras, assim como os sentimentos, tem uma razão para rimarem dessa forma tão clichê. Um depende do outro. A dor é muito forte quando se ama demais e o amor é ainda mais forte depois que se supera a dor.

Depende do seu otimismo. Ou pessimismo, quem sabe?

Amanhã é seu aniversário. Você está completando um ano a mais ou um ano a menos? Do momento em que você nasceu até agora, você viveu ou já começou a morrer?

O que você prefere? O para sempre ou um momento? Não seria o para sempre feito de infinitos momentos? Não dizem que um momento pode ser eternizado na lembrança? Tudo depende. Até eu dependo.

Dependo de sorrisos, de lágrimas, de cores, do preto e branco, de flores, de amor, das rimas...da dor. Preciso disso pra me bastar. E por depender disso tudo, eu não me basto: me continuo, ainda que não haja esperanças. Quando o céu permanece escuro e a tempestade continua caindo, o segredo é inventar estrelas a prova d’água.

Rimar nem sempre é preciso. Tenho para mim que as rimas estão nas coisas que se completam, tenham elas a mesma terminação ou não: chocolate e coca-cola, Romeu e Julieta, amor e desejo, doce e salgado, qualidade e bom gosto.






Eu e você.









O mundo já caiu, baby. Só nos resta dançar sobre os destroços.



Aliás, tenho lido as coisas da Martha Medeiros. Fantástico.

Só perde pra minha eterna ídola: Clarice (L)ispector.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Às vezes me sinto como uma atriz. Sempre interpretando, fingindo sentir o que não sinto.

É como se eu estivesse no palco em plena luz do dia e a platéia esperasse muito de mim. Além de interpretar, preciso estar bonita, ser magra, andar com delicadeza e falar com muita clareza. Preciso estar bem vestida, mesmo que seja com uma roupa simples. Estilo é necessário sempre. Minhas unhas precisam estar bem feitas e não posso usar cor escura, pois se o fizer, não serei taxada de boa moça. E que meus problemas sejam todos deixados de lado. Afinal, tenho toda uma platéia para agradar.

E é quando entro em cena. Justamente quando ninguém me espera. E entro cantarolando. Encaro o público, em êxtase. Toda a tensão que se escondia no silêncio cai sobre mim. Dou uma gargalhada. Não dizem que a vida é tão bela? O que posso fazer, senão entorná-la como uma deliciosa taça de vinho português? Começo minha impecável transformação. Não sou mais apenas uma mulher interpretando personagens num lugar qualquer: sou uma atriz no palco da vida, onde meus olhos são cegados pelos refletores. E confesso que sou uma boa atriz. A arte de interpretar, como muitas outras, corre no meu sangue. A única coisa certa é que não é meu dom ser normal. Gosto quando reina o caos dentro de mim. Quando o amor fala mais alto do que meu próprio grito e algo tão simples como o arfar de asas de um passarinho, consegue provocar uma explosão.

Falei tanto e acabei não dizendo qual é o meu papel. Pra dizer a verdade, cada dia é um. Hoje, não sou protagonista. Dei mais importância a outras pessoas do que a mim e isso não é algo de que eu me arrependa. Hoje resolvi ser uma personagem secundária, que com certeza ninguém notou. Sou uma rosa vermelha no cenário. Eu sei cantar em silêncio. Desabrocho quando tenho o elemento essencial para viver na quantidade perfeita. Não muito, não pouco: o suficiente. Sou o presente mais simples e de maior impacto que alguém pode receber, desde que não me arranquem os espinhos, pois estes, ainda que não pareçam, fazem parte do meu encanto.

Daqui onde estou, vejo tudo acontecer. Sem dar as minhas opiniões. Apenas analisando. Friamente ou não.

E quando as cortinas se fecharem, eu serei aplaudida com entusiasmo pela platéia que não sabe que estou ali. Que me aplaude inconscientemente.

Não estou sendo convencida, apenas sei que um dia, alguém vai me notar e fazer a questão de me roubar. Meu encanto é como o vento. Como a revolta do mar: contra ele, ninguém pode lutar.




Or it's melted or it's turned into a stone. Either ways, it's not here at all.
Oh yes, I'm talking 'bout my heart.





9 dias (:

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

O nada e o tudo


É como se o tempo não existisse. Como se o nada fosse tudo.
Ontem o mundo parou. Hoje, continua parado. Quem sabe amanhã?
Aliás, quando é amanhã? Está muito longe?
As ruas estão estranhas, as nuvens mudaram - não têm mais desenhos, as flores continuam encantadoras, o som detona o silêncio.
Se eu pudesse, mudaria tudo. E seria mais fácil se alguém entendesse o que eu quero dizer.
E enquanto a maioria se importa com o verbo ter, ontem eu estava ouvindo música e três pássaros de repente apareceram voando na minha frente. Nada de mais perfeito poderia ter acontecido naquela hora.



Nada.












Música do post, porque nenhuma outra falaria tanto por mim agora:





Would you say you need me?


































'Cause I need you now.
Oh, if I could change your mind...

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

videoÚltimos momentos de 2009!


Não sei porque eu não postei o vídeo no mesmo dia que postei o outro..acho que esqueci



enfim.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

O tempo voa (ou não)


Ela olha para os lados, entorna um gole de café e pensa. Tamborila os dedos na mesa. E espera.
Lança um olhar no relógio, compõe uma canção no pensamento.
As gotas frias de suor lhe escorrem pelo rosto. Muda o sofá de lugar, pega o telefone, liga, ouve a linha. Pensa em discar, mas logo desiste. Volta o telefone no gancho. Apanha um pedaço de papel e rabisca um nome. O mesmo nome que jamais deixa seu pensamento e menos ainda o coração, afinal, dizem que se ficar pensando em alguma coisa por muito tempo, uma hora acaba acontecendo. Ela não sabe se acredita nisso ou não. Joga a cabeça graciosamente para trás e ri. Um riso de ironia. Como poderia acreditar em qualquer coisa se já havia matado todas as esperanças? Não conseguiria. É impossível. Justo para ela, que o impossível não existia. Decide, por fim, jogar tudo pro alto.
Estrala os dedos. Pega o violão e monta um acorde sustenido. Gosta do som. Sorri levemente dando um viva aos prazeres do som. Apenas lamenta por essas (poucas) vezes em que a música não dá um fim em sua ansiedade.
Folheia uma revista, mas logo se cansa de tanta futilidade. Joga-a num canto.
Outro gole de café e o coração é estilhaçado. Derrama uma lágrima e se arrepende muito antes do segundo seguinte chegar. Sente raiva dos seus sentimentos. Deseja que eles não existam. Deveria ser como a maioria. Não deveria se importar, muito menos esperar por qualquer coisa. Quer, mas não consegue ser assim. Gosta dos sonhos e das entrelinhas. Acredita no amor mais do que qualquer outro ser que é capaz de respirar. Sofre na mesma intensidade que ama, mas não tem medo da dor. Seja isso um problema ou não. Sempre pensou que não ter medo da dor não é sinônimo de masoquismo.
Perde o pouco da paciência que lhe resta. Levanta. Arruma a casa, deixa tudo brilhando. Toma uma ducha e veste uma roupa deslumbrante. Vermelha. Coloca o salto mais alto e namora o espelho.
Pensa. Respira.
Senta na cadeira, pega outro pedaço de papel e escreve um poema. Quer ser perfeita, sem saber que perfeito seria vê-la assim, tão nervosa.
Olha fixamente para a porta. Apura os ouvidos. Não há passos. Checa o celular pela milésima vez naquele dia e não está tocando. Não há mensagens. Não há esperança.
Sorri de novo. Dessa vez, com um pouco de tristeza. Logo se conforma.
Lança outro olhar no relógio. Caminha lentamente em direção à porta. Hesita. Recua alguns passos. Senta e leva as mãos ao rosto. Inspira. Expira.
E por fim, se cansa de esperar. Decide ir embora para sempre. Levanta-se com agilidade. Está convencida. Aperta os olhos. Seus passos são firmes. Avança sem olhar para trás. Coloca a mão na maçaneta.
Então, a campainha toca.






E ela coloca tudo a perder.





***
Não sei qual é o meu problema, mas há meses não consigo escrever poesias. Assim que conseguir, postarei aqui.

Desafinei meu violão de uma forma que ficasse afinado e fiz uma música linda.
Faltou modéstia, eu sei. Não ligo nem um pouco.
Agora só preciso da letra. E não consigo escrever.
Perfeito. Simplesmente MARAVILHOSO.
#comofaz?
humpf.




Ai. Sono.
Boa noite.



Nas entrelinhas.... estrelinhas!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Bandeira branca, amor... ♫
Dalva e Peri, jogos coringados, algumas lágrimas, vários risos, piadas maldosas, lesma nojenta, bisgatô, esfia, abib's, mc donálds, lacostê, forúm, viCtor ugo, sale, mófficer, gregori e parmálat. Novos sotaques e palavras.
Bárbaro.

Bourbon.
Meu quase desmaio e a dor insuportável de cabeça.
Passei mal o dia inteiro e continuo...


Fiquei sabendo que a casa fica vazia sem mim. Mamãe me deu uns 15 abraços e papai quase chorou. Lindos ♥
Morri de saudade.




Só uma coisa ruim. Bem ruim por sinal.
Alex, não acredito que tudo isso aconteceu mas acho que foi melhor assim. Minha mãe chegou hoje em casa e me contou que sua vó disse que você me adorava e que sempre dizia que iríamos juntos pra NY. Me deu TANTA vontade de chorar...
Prometo que se um dia eu pisar na Times Square, escutarei algo da Madonna e lembrarei de você.
Pensei nisso o dia inteiro, quando me disseram que você morreu. Simplesmente difícil, quase impossível de acreditar, sendo que no ano passado eu toquei Linger no msn pra você e você me disse que eu toco muito bem. Sem contar o dvd que você tinha me emprestado e eu te devolvi há 2 meses atrás....e a última vez que eu te vi, não tem nem 1 mes. E você tava sorrindo, tava tão bem...
;~
Descansa em paz.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Just got a runaway


Completamente apaixonada por essa foto. E por esse vestido *-*


Eu tenho muito a dizer. Na verdade ia fazer um texto hoje, mas vou segurá-lo dentro de mim e deixar explodir qualquer dia desses. Vamos ver no que dá.



Beijo pra todo mundo. Não prometam sentir saudade, mas sintam.





http://www.formspring.me/eloasl

Prometo responder todas as perguntas com sinceridade, mas não prometo responder todas as perguntas...





" There's a world outside every darkened door where the blues won't haunt you anymore... "




Life is a highway.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Feliz Ano Novo!

videoVídeo gravado exatamente meia noite.
Achei engraçado demais, principalmente quando eu falei Parabéns pra Natália ao invés de dizer Feliz Ano Novo.
E eu JURO que não foi por querer.
HAUAHUHAUHAUHUAHAHAHUAHAHUAHUAH


E a cara da Bedé na hora que o Diogo quebrou a taça.

E eu cantando "Adeus ano velho..."
E chamando meu pai "OOOOO NINÊ" e logo em seguida, achando que já tava soltando os fogos, olhando pro céu e ficando no vácuo ¬¬
E dizendo "Cadê os fogos? To nervosa! "
E a boa educação da minha prima perguntando onde estavam a p**** dos fogos.
E por fim, eu gritando quando vi, antes que todo mundo os fogos, que tanto me encantam:" LÁ! "






É. Feliz ano novo!
Tentei ligar e mandar msg pra galera, mas não consegui. Meu celular sempre faz o grande favor de não funcionar nessas datas.

Ótimo 2010 a todos.


Pessoas do vídeo ou melhor dizendo, Mãe, Pai, Bedé, Vó, Diogo, Maria e Nachy e Vó Sila que não estava... amo MUITO vocês.
Obrigada por tudo sempre. Que vocês tenham um ano maravilhoso, com muita saúde acima de tudo, paz, música e dinheiro.

Meus pais e eu parece que combinamos nas cores.
Meu pai foi de verde: Esperança.
Mamãe foi de amarelo e branco: dinheiro e Paz

E eu, por nunca ter usado cor escura no revéillon, usei pela primeira vez.
Vesti minha cor preferida: vermelho. A cor que simboliza meu sentimento preferido: o amor.



Beijos de Feliz Ano Novo a todos e um abraço de fechar os olhos.




Eu tranco a porta pra todas as mentiras. #in2010