domingo, 22 de agosto de 2010

- um imenso outdoor


Tudo – ou quase tudo – é paisagem nos olhos de quem vê. Um céu aberto, um sorriso estrelado: os mundos sempre se misturam. Se não, ao menos se encontram e ninguém vai negar. Toda e qualquer verdade é inegável.

Como foi que cheguei aqui? Não sei. Quero voltar, mas é impossível voltar pra um lugar de onde nunca saí. O som permanece em mim, não fugirá.

Tanto a dizer e não sei como falar, nem por onde começar. Fico apenas com algumas rimas sem coerência e uma dor no peito do tamanho da sua ausência.

Quantos contrários. Quanta confusão! E minha inspiração, cadê? Quero de volta. Agora.

Muita bagunça, muita revolta. Pessoas sem cor, chuva. Tudo em branco e preto. E tudo me grita seu nome. Até na falta de cor tem paisagem. Tudo é paisagem nos olhos de quem vê.






(Espero que não esteja de passagem...)



Agora sim, no dia certo. Amanhã é 23:



E ainda, no final do mês de agosto...

Um comentário:

Raíssa Colonisio Momesso disse...

Que foto linda, que texto lindo, que musica no fim linda rsrs =) Beijao querida