sexta-feira, 26 de março de 2010

Covardia

Vou lhe dizer o que é covardia. Covardia é você ligar pra ela só pra saber se está tudo bem, sendo que isso não te importa nem um pouco. Covardia é você beijá-lo sem sentir vontade. Não sou a primeira a dizer isso, mas com sentimento não se brinca. A verdade dói, mas a mentira corrói até o final, se você não sente, não abra a boca para dizer que sente. Um tapa, um tombo, uma ralada no joelho, doem. Mas dor física é diferente de dor sentimental: a dor física é só naquele momento, depois passa. A dor sentimental também passa, mas demora. Enquanto essa dor não vazar inteira pelos olhos, pelas palavras e pelas noites de insônia, não vai passar. A maior covardia é brincar com os sentimentos de alguém, seja quem for.

Covardia é não querer. Não querer saber mais se ela pensa em você e ainda assim perguntar pros amigos dela se ela fala em você. Não querer lembrar quais CD’s ele deixava em cima do banco da frente do carro e ouvir todas as músicas que ele mais adora. Não querer olhar pra ela no meio do baile, com medo de que ela também esteja olhando pra você. Não querer encontrá-lo e ir todo final de semana no lugar que ele mais costuma freqüentar. Ser covarde não é trair quem você ama. Ser covarde é trair-se.

Os que se divertem com sentimentos, no final, acabam sendo apenas “mais um”, justamente por esse ser o padrão desse mundo invertido. Covardia é limitar-se. Covardia é não amar por medo de sofrer e fazer de gato e sapato a pessoa que ama você.

Covardia é, além de ser covarde, ser covarde e achar lindo.










(...)

"De qualquer forma, não esqueça das seguintes verdades:
Não faça nada que não te deixe em paz consigo mesma;
Cuidado com o que anda desabafando;
Conte até três (tá certo, se precisar, conte mais);
Antes só do que muito acompanhado;
Esperar não significa inércia, muito menos desinteresse;
Renunciar não quer dizer que não ame;
Abrir mão não quer dizer que não queira;
O tempo ensina, mas não cura."

(Martha Medeiros)




- Nem sempre se vê mágica no absurdo... ♫

Um comentário:

C. Juliana disse...

adorei, demais.
sempre, aliás. huahauhauhau